40 Anos de Os Caçadores da Arca Perdida: A História por trás da criação de Indiana Jones!

40 Anos de Os Caçadores da Arca Perdida: A História por trás da criação de Indiana Jones!

“Não são os anos, querida. É a quilometragem”- Indiana Jones

“Indiana Jones, o novo herói dos criadores de Tubarão e Star Wars”. Essa era a frase estampada nos principais materiais de divulgação de Os Caçadores da Arca Perdida (1981), o primeiro filme da franquia focada no famoso arqueólogo criado por George Lucas (Star Wars) e Steven Spielberg (Tubarão), e que, em 2021, completa 40 anos de seu lançamento original nas telonas. No mundo do cinema, o conceito de clássico é, de forma geral, entendido como aquele filme atemporal, que atravessa gerações e continua vivo no imaginário popular mesmo décadas depois de seu lançamento. Quando falamos na primeira das quatro aventuras do Dr. Jones, definitivamente estamos diante de um desses casos. Afinal, Os Caçadores da Arca Perdida é considerado por muitos críticos e estudiosos da sétima arte como o filme de aventura definitivo. Um longa que pegou todos os elementos desse gênero e os elevou a milésima potência, transformando Indiana Jones e aventura quase que em sinônimos.

Pôster de Os Caçadores da Arca Perdida

A história por trás da criação do personagem e do filme começa ainda no início dos anos 70. Nessa época, um ainda jovem cineasta chamado George Lucas possuía duas principais ideias em sua cabeça. A primeira delas, era uma aventura espacial intitulada The Star Wars, que funcionava como uma homenagem aos filmes e seriados de ficção científica dos anos 50, como Flash Gordon e Buck Rogers, e filmes de Western e de Samurai, principalmente os do diretor Akira Kurosawa, que Lucas era fã quando novo. A segunda, por sua vez, chamava-se The Adventures of Indiana Smith, que girava em torno de um aventureiro nos moldes daqueles que o jovem Lucas costumava assistir quando criança, em filmes como O Tesouro da Sierra Madre (1948) e nas histórias de Dick Tracy.

Dito isso, após o sucesso comercial de Star Wars, lançado em maio de 1977, no ano seguinte, Lucas começou a trabalhar na sua próxima ideia de sucesso. Após, alguns anos antes, debatê-la com o roteirista Philip Kaufman, foi decidido que o foco do primeiro filme de Indiana Smith seria a busca pela Arca da Aliança (que, segundo a bíblia, seria aonde foram guardadas as tábuas sagradas contendo Os Dez Mandamentos, que Deus teria recitado a Moisés no Monte Hereb). Diz a lenda que, ainda em 1977, quando George Lucas encontrava-se no Avaí, de férias da conturbada realização de Star Wars, ele teve um encontro com Steven Spielberg, que, por sua vez, vinha da realização de Contatos Imediatos de Terceiro Grau, também lançado em 1977. Numa conversa dos dois, após Spielberg revelar para Lucas o seu desejo de dirigir um filme de James Bond, o criador de Star Wars teria lhe contado que criou um personagem ainda melhor que o agente 007, apresentando para seu amigo a sua ideia, que logo teria lhe chamado muito a atenção. Exceto por um detalhe: o nome do protagonista, que, para Spielberg, soaria muito melhor se fosse Indiana Jones, ao invés de Smith.

Steven Spielberg e George Lucas.

A partir daí, a produção em si de Os Caçadores da Arca Perdida, título definido para essa primeira empreitada sobre o aventureiro, começou ao mesmo tempo em que George Lucas trabalhava em O Império Contra-Ataca, o segundo capítulo da saga Star Wars, lançado em 1980. Lucas e Spielberg uniram forças com o roteirista Lawrence Kasdan (o mesmo de O Império Contra-Ataca) para um tratamento definitivo de elementos chaves da trama e de um roteiro em si para o filme, debatendo acontecimentos específicos e até mesmo a personalidade do herói protagonista. Dessa forma, após dias de discussão, a definição para uma trama foi a de que o público acompanharia o cínico arqueólogo Indiana Jones, que é contratado para encontrar a tal Arca da Aliança, enfrentando o exército nazista de Hitler, que também está em busca do artefato, por conta de uma lenda que afirma que quem estiver em posse dele, se tornará invencível.

Para o papel principal, a escolha inicial era a do ator americano Tom Selleck. Porém, após alguns conflitos de agenda desse, que na época iria começar a gravar a série de TV Magnum, a qual ficaria eternizado no papel título, e de muita insistência de Spielberg para com George Lucas, o escolhido acabou (ainda bem) sendo Harrison Ford. Na época, Lucas era contra a ideia de ter o astro no filme, por conta de Ford já ser parte do elenco de Star Wars como Han Solo. Apesar disso, ele acabou cedendo e concordando com que o ator estrelasse mais uma de suas produções, o que acabou caindo feito uma luva, com Harrison Ford reivindicando o chicote e o chapéu de Indiana Jones para si de forma extremamente natural, sendo uma peça fundamental para estabelecer o arqueólogo como um dos heróis e personagens mais icônicos de toda a história do Cinema.

Harrison Ford como Indiana Jones.

Lançado em junho de 1981, Os Caçadores da Arca Perdida foi um sucesso estrondoso de público e de crítica. Um espetáculo técnico-narrativo de tirar o fôlego do início ao fim, o filme, além do bom roteiro e das grandes performances de seu elenco, se destacou, principalmente, pela dinâmica direção de Steven Spielberg para as cenas de ação, todas elas, por sua vez, grandiosas e de deixar qualquer um agarrado a poltrona; a direção de arte, design de produção e figurinos, três elementos impecáveis para reconstrução histórica da época e dos contextos em que o filme se passa; os lendários efeitos visuais vencedores do Oscar em 1982; a belíssima fotografia de Douglas Slocombe e a edição de Michael Khan e, por fim, mas não menos importante, a icônica trilha sonora do lendário compositor John Williams, que já havia colaborado com Lucas em Star Wars e com Spielberg em Tubarão e Contatos Imediatos de Terceirto Grau.

Se o marketing citado no início desse texto prometia algo sensacional, ao deixar claro que veríamos um herói que faria jus aos dois nomes de peso por trás de sua criação, ele assim o cumpriu. A partir daqui, Indiana Jones se tornou um ícone, sendo o foco de uma das franquias mais famosas, queridas e rentáveis do Cinema. Depois de Caçadores, o personagem vivido por Harrison Ford ainda veio a estrelar mais três produções- O Templo da Perdição (1985), A Última Cruzada (1989) e O Reino da Caveira de Cristal (2008), com uma quinta aventura cinematográfica programada para meados de 2022. Além disso, foi foco também de uma série de TV, As Aventuras do Jovem Indiana Jones, que foi ao ar de 1992 a 1993. Assistir a franquia, que agora celebra seus 40 anos de existência, é descobrir um espírito aventureiro que existe dentro de cada um de nós. Sentimento esse que só prova como esse novo-velho herói dos criadores de Tubarão e Star Wars é algo mais do que especial.

Fique ligado no Maratonando POP e nos siga nas redes sociais!

Instagram

Facebook

Twitter

Youtube

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *