INVOCAÇÃO DO MAL 3 TERÁ MUDANÇA DRÁSTICA EM RELAÇÃO AOS PRIMEIROS FILMES!

INVOCAÇÃO DO MAL 3 TERÁ MUDANÇA DRÁSTICA EM RELAÇÃO AOS PRIMEIROS FILMES!

Os dois primeiros filmes da franquia de sucesso, mostravam famílias sendo atormentadas por espíritos malignos em suas casas. Entretanto, quando o roteirista, David Leslie Johnson-McGoldrick, foi questionado em relação a uma possível mudança na fórmula que vem fazendo sucesso, ele respondeu:

 

“Não estive envolvido extensivamente em ‘Malignant‘ [próximo filme de James Wan], tudo o que posso dizer é que vocês devem assistir assim que tiverem a chance. Sobre ‘Invocação do Mal 3‘, é um filme completamente diferente dos dois primeiros. A franquia está se expandindo além da fórmula da de ‘casas mal assombrada’.”

 

Apesar de não revelar detalhes, McGoldrick já havia adiantado ao The Wrap que o novo filme vai mostrar o casal Warren em uma intensa investigação para descobrir a origem do mal que enfrentam.

 

Confira abaixo o caso real que inspirou o terceiro filme da franquia:

 

Em 1981, Debbie Glatzel assistiu aterrorizada enquanto seu noivo de 19 anos, Arne Cheyenne Johnson, aproximou-se do proprietário de seu imóvel, Alan Bono, e cruelmente o esfaqueou várias vezes no peito, matando-o. Meses antes do assassinato, o irmão mais novo de Debbie, David, experimentou ataques violentos de raiva e comportamento inexplicável. Convencido de que David estava sob o domínio de algo mal, a família chamou os Warren para ajudar. Os Warren afirmaram que 43 demônios residiam no menino e eles começaram a visitá-lo regularmente. O casal realizou três pequenos exorcismos para livrar o menino da possessão.

 

Durante o exorcismo final, Cheyenne Johnson provocou o demônio para vir para ele e possuí-lo em seu lugar. A partir desse momento, Debbie e os Warren afirmaram que ele foi possuído pelos mesmos demônios. Os Warrens teriam avisado a polícia local que uma tragédia aconteceria em breve, mas foram ignorados. Durante sua defesa no tribunal, Cheyenne Johnson afirmou que estava possuído por demônios quando assassinou Bono. O caso, que ganhou grande atenção da mídia, se tornou o primeiro caso conhecido de um acusado usando possessão demoníaca como justificativa nos Estados Unidos, e foi apelidado de “O diabo me obrigou a fazer” pela mídia.

 

Maiores detalhes sobre o filme não foram revelados:

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *